HOMILIA DO XVII DOMINGO DO TEMPO COMUM

   A liturgia de hoje nos apresenta Jesus Cristo como um tesouro ou uma pérola, encontrados em meios as alegrias e dores da vida. Mostra, também, que o cristão deve viver a sua vida sobre os valores propostos por Jesus.

   A primeira leitura tirada de 1Reis 3, 5.7-12, nos mostra o exemplo de Salomão. Quando teve a oportunidade de ter qualquer coisa no mundo, Salomão pediu sabedoria, um coração entendido, para liderar bem e tomar decisões corretas. Digo a você que está lendo essa homilia agora: Observe que Salomão pediu entendimento para realizar seu trabalho; ele não pediu que Deus fizesse o trabalho por ele. Não devemos pedir que Deus faça em nosso lugar o que Ele quer fazer por nosso intermédio.

   Salomão pediu sabedoria, não riqueza, mas Deus lhe deu também riquezas e longa vida. Embora Deus não prometa riquezas aos que o seguem, Ele nos dá o que necessitamos, se colocamos seu reino, seus interesses e seus princípios em primeiro lugar. Ou seja, fixar os olhos em Deus e na sua obra, Ele atenderá as nossas mais profundas necessidades.

   No Evangelho de Mateus 13,44-52 Jesus recomenda aos seus seguidores que façam do Reino de Deus a sua prioridade fundamental. O reino dos céus é muito mais valioso do que qualquer outra coisa que possamos ter, e cada pessoa deve esforçar para obtê-lo. O homem que encontrou o tesouro escondido no campo tropeçou nele, acidentalmente, mas soube o valor que ele tinha, quando o encontrou. Observe irmãos e irmãs, embora a transação lhe custasse tudo, ele não pagou nada pelo tesouro. Ele lhe veio gratuitamente, junto com o campo. A palavra desse Domingo, quer lembrar você e sua família, que nada é mais precioso que o reino dos céus. Repita com Dom Júnior agora: Deus o concede a nós como um presente. Faça disso uma oração para toda a sua semana. E lembre-se que você e sua família são importantes para Deus. Deus ama você e sua família.

   A parábola da rede de pescar tem o mesmo significado que a parábola do joio e do trigo. Devemos obedecer a Deus, e falar aos outros a respeito da tua graça e bondade, mas não podemos ditar quem fará parte do reino dos céus e quem não fará. Esta decisão será feita no Juízo Final, por aqueles que são infinitamente mais qualificados que nós.

   Já a Segunda Leitura tirada de Romanos 8, 28-30, convida-nos a dar conta do grande  amor de Deus, amor que o homem não merece, mas que Deus, com ternura, insiste em oferecer, de forma gratuita e incondicional, traduzido num projeto de salvação preparado desde sempre, e que leva Deus a enviar ao mundo o seu próprio Filho para conduzir todos os homens e mulheres a uma nova condição. Estamos numa época marcada por uma pandemia, este texto convida-nos a tomar consciência de que Deus nos ama, vem continuamente ao nosso encontro, aponta-nos o caminho da vida plena e verdadeira, desafia-nos à identificação com Jesus, convida-nos a integrar a sua família. Mesmo dentro de um contexto de pandemia e vários outros problemas sociais e políticos, não devemos esquecer que o objetivo supremo de Deus para nós é tornar-nos semelhantes a Ele(1Jo 3.2). A medida que nos tornamos cada vez mais semelhantes a Ele, descobriremos nosso verdadeiro ser, as pessoas que fomos criadas para ser. A pergunta que fica é: Como podemos nos tornar como Cristo? Lendo e dando ouvido a sua Palavra; estudando sua vida na terra, por intermédio dos Evangelhos; passando tempo em oração; sendo cheios com seu Espírito e fazendo sua obra no mundo.

   Portanto, a liturgia de hoje nos incentiva a descobrir Jesus Cristo como um tesouro ou uma pérola. Como Bispo digo a você que está sem sentido de vida, depressivo, desanimado, sem esperança, sem fé, sem amor. Que está caído pelo caminho e, ainda, se sentindo condenado pelos seus erros, pecados, faltas e, mais, sendo condenado por algum ser humano nessa terra ou até mesmo por satanás. Lembre-se meu irmão(a) ao descobrir Jesus Cristo como tesouro ou uma pérola, esta descoberta muda radicalmente a existência, a vida de qualquer ser humano, levando ao desprendimento de tudo aquilo que antes parecia valor absoluto. Tal atitude pode parecer difícil ou até mesmo impossível. Entretanto, nunca devemos esquecer de que “tudo contribui para o bem daqueles que amam a Deus”.

   Que o Senhor der aos dirigentes das nações e das igrejas um coração atento, para que conduzam os povos e as comunidades segundo o teu Espírito e saibam discernir o bem do mal. Dá aos teus filhos a coragem de procurar em toda parte o tesouro da tua presença.

+Dom Júnior de Jesus (Bispo Eleito)