VISITA AO SANTÍSSIMO

QUINTA-FEIRA DE ADORAÇÃO

VISITA AO SANTÍSSIMO

 

V/Graças e louvores sejam dados a todo momento.

R/. Ao Santíssimo e diviníssimo Sacramento

Pai –Nosso, Ave-Maria e Glória .

   Comunhão espiritual: Eu quisera, Senhor, receber-vos com aquela pureza, humildade e devoção com que recebeu a vossa Santíssima Mãe, com o espírito e o fervor dos Santos.

 

HOMILIA

EVANGELHO – MATEUS 22, 1-14

   Naquela cultura, quando um banquete era oferecido, eram esperados dois convites. O primeiro convite pedia que os convidados comparecessem. O Segundo convite anunciava que tudo estava pronto. Nesta parábola, o rei convidou três vezes seus convidados, e a cada vez eles rejeitaram seu convite. Meu irmão e minha irmã que está lendo essa homilia, lembre-se, sempre, Deus quer que participemos do seu banquete, que durará por toda eternidade. Por isso Ele nos envia repetidos convites. Como Bispo Eleito te pergunto, nesta Quinta-Feira de adoração: Você já recebeu o convite de Deus? Você aceitou ou rejeitou esse convite?

Era costume que os convidados para um casamento recebessem vestes nupciais para usar no banquete. Recusar essas roupas era algo inimaginável. Isso insultaria o anfitrião, que poderia apenas supor que o convidado era arrogante e pensava que não precisava dessas roupas, ou que o convidado não desejava participar da comemoração do casamento. As vestes nupciais retratam a justiça necessária para entrar no reino de Deus, a aceitação total, aos olhos de Deus, que Cristo dá a cada cristão. Como Bispo digo a você nesse tempo de Pandemia, Cristo fornece as vestes de justiça a todos, mas cada pessoa deve decidir vesti-la para poder entrar no banquete celestial. Atenção: enquanto estivermos nesse mundo, há um convite aberto para cada um de nós, mas devemos está preparados. Por isso vale apena continuar abertos a esse convite especial. Também é bom procurar conhecer melhor a Deus, desenvolver a perseverança, fazer a vontade de Deus, perdoar e amar as outras pessoas.

Esta parábola, contada por Jesus, é um aviso ao povo de Israel, o primeiro a ser chamado, para que se alegre com o uso que o Senhor faz da liberdade em relação aos últimos, os pagãos, os publicanos, os pecadores. Mas é também um aviso a nós, cristãos de hoje, para que nos convertamos aos critérios de Deus. Não são os ricos e poderosos que entram, ou tem precedência no reino de Deus, mas os pobres e fracos. O reino de Deus não se conquista por méritos próprios, mas é um dom gratuito, a acolher com humildade e gratidão.

Portanto, como Bispo desejo que sua, Quinta-Feira de adoração, seja para dar graças a Deus por nos ter dado o seu Filho Jesus. Seja também para pedirmos que Ele nos dê um coração grande para amar, para ver a grandeza de tudo que criastes.

+Dom Júnior de Jesus (Bispo Eleito)