19º DOMINGO DO TEMPO COMUM

VENHA AO MEU ENCONTRO

   A liturgia do 19º Domingo do tempo comum dá-nos conta, uma vez mais, da preocupação de Deus em oferecer aos homens o “pão” da vida plena e definitiva.

   Ao ser perseguido pela rainha Jezabel, Elias fugiu e depois sentiu uma grande depressão. No deserto, Deus o robusteceu com sonho e alimento. A partir de então, sua fuga se transformou em uma peregrinação ao encontro de Deus no monte Horeb. Ai Deus se manifestou a ele em uma suave brisa, em vez de no meio do fogo, de terremotos e de ventos, como costumava manifestar-se. Agora, você que está lendo essa homilia, ore com Elias assim: “Senhor, tenho necessidade de você, de modo especial quando meu desanimo chega ao extremo e sinto um grande vazio. Por mais coisas e ações com que procure enchê-lo, só você pode saciar-me.

   Às vezes procuro o barulho para acalmar a sede de você, mas no fundo meu coração anseia por você. Quando deixo que os dias passem sem sentido, venha ao meu encontro, mostre-me seu cuidado e transforme meu desespero em fé e esperança.

   Sei que as vezes me chama para a solidão para fazer-se presente em minha vida como na de Elias. Busque-me com ternura, não no furacão ou no fogo, mas na suave brisa do silêncio.

   Senhor, conceda-me descobri-lo no silencio de meu coração”. Amém.

   No Evangelho (Jo 6, 41-51), Jesus define a si mesmo dizendo:” Eu sou o pão vivo”, e nos promete: “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele”.

   Nossa vida é um caminho para Deus, que percorremos fortalecidos com o mesmo Cristo que ficou com nosso nesse pão. Só assim teremos força para cumprir seu grande mandamento: “Como eu vos tenho amado, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros”(13,34).

   Nós, Veteros Católicos Fidelitas, damos grande importância a esses ensinamentos de Jesus. Por isso a Igreja celebra o sacramento da Eucaristia diariamente em todo o mundo, e ela constitui o centro e o ápice de nossa vida cristã. Também é a razão pela qual a Igreja nos pede que, sempre que for possível participemos da missa dominical e recebamos Jesus eucarístico.

https://pay.hotmart.com/M55904695J?checkoutMode=10

   A segunda leitura (Efésios 4, 30-5,2), mostra-nos as consequências da adesão a Jesus, o pão da vida. Quando alguém acolhe Jesus como pão que desceu do céu, torna-se um Homem Novo, que renuncia à vida velha do egoísmo e do pecado e que passa a viver na caridade, a exemplo de Cristo.

   Portanto, a liturgia de hoje apresentou Jesus como o “pão” vivo que desceu do céu para dar a vida ao mundo. Para que esse “pão” sacie definitivamente a fome de vida que reside no coração de cada homem ou mulher, é preciso acreditar, isto é, aderir a Jesus, acolher as suas propostas, aceitar o seu projeto, segui-lo no si a Deus e no amor aos irmãos.

+Dom Junior de Jesus(Bispo Eleito)