XXI DOMINGO DO TEMPO COMUM

DEFINA-SE! DE QUE LADO VOCÊ ESTÁ?

   A liturgia de hoje fala-nos de opções. Recorda-nos que a nossa existência pode ser gasta a perseguir valores efêmeros e estéreis, ou a apostar nesses valores eternos que nos conduzem à vida definitiva, à realização plena. Cada homem e cada mulher têm, dia a dia, de fazer a sua escolha.

   A primeira leitura (Josué 24,1-2.15-18), mostra-nos que Josué reuniu os líderes das tribos em Siquém para renovar a aliança. Como é urgente hoje renovar a aliança dos povos descendentes de Abraão com Deus!

   Nossa semelhança com Deus e o fato de que só conosco compartilhou seus atributos nos faz o ponto culminante da criação. Deu-nos liberdade para escolher o caminho da vida, capacidade de amar, conhecer, analisar, procriar e transformar. Desde o princípio estabeleceu um diálogo conosco, coisa que não fez com o resto da criação.

   É urgente acabar com as incompreensões e lutas entre nações cristãs, e conseguir o entendimento e o respeito mútuo de judeus, muçulmanos e cristãos. E, em nível mais próximo, como conseguir que os líderes de distintos grupos étnicos, classes sociais ou grupos de interesses se unam para trabalhar pelo bem comum?

   Imagine a paz e a justiça que reinariam se todas as nações e grupos tivessem uma identidade comum perante Deus. Pense que força teríamos se nos ajudássemos uns aos outros para enfrentar os desafios da vida.

   Como Bispo Eleito da Igreja Vetero Católica Fidelitas, deixo as questões para sua reflexão semanal: O que você pode fazer para que cresça essa visão em sua escola, em sua comunidade, em sua vizinhança, em seu trabalho, em seu povo? Com quem você pode compartilhar essa visão para que se torne realidade? Em sua oração, peça a Deus a coragem e a habilidade necessária para ser instrumento de unidade, amor e paz.

   O Evangelho (João 6,60-69), coloca diante de nossos olhos dois grupos de discípulos, com opções diversas diante da proposta de Jesus. Um dos grupos, prisioneiros da lógica do mundo, tem como prioridade os bens materiais, o poder, a ambição e a glória; por isso, recusa a proposta de Jesus. Outro grupo, aberto à ação de Deus e do Espírito, está disponível para seguir Jesus no caminho do amor e do dom da vida; os membros deste grupo sabem que só Jesus tem palavras de vida eterna. É este último grupo que é proposto como modelo aos cristãos de todos os tempos.

   Alguns (Segunda Leitura Efésios 5,21-32), textos sagrados costumam ser manipulados para revestir de autoridade divina uma agenda pessoal. Usa-se Efésios 5,23 para afirmar que, segundo a palavra de Deus, o marido é superior à esposa e ela tem de ser submissa, pois “o marido é o chefe da mulher”.

   O contexto da frase não permite tal interpretação. O versículo 21 diz: “Sujeitai-vos uns aos outros no temor a Cristo” e o versículo 23 completo diz “pois o marido é chefe da mulher, como Cristo é o feche da Igreja, seu corpo, da qual ele é o salvador”. Cristo chega a ser “chefe” ou “cabeça” na cruz porque ai entregou sua vida pelo bem da igreja. De qualquer maneira, a expressão “o homem é chefe” significa que se entrega, serve e cuida de sua esposa e de sua família.

   Paulo enfatiza que a relação entre o esposo e a esposa se fundamenta na relação de Cristo com a comunidade de crentes e que, tal qual esta, deve estar cheia de amor, respeito mútuo e entrega total.

   Como Bispo, quero neste momento, deixar novamente as seguintes perguntas para você que está lendo essa homilia: Você tem um noivo ou noiva, ama e respeita seu par a tal ponto que os outros entendem que seu amor nasce do amor de Deus e cresce cada dia mais? Se é casado, sua união reflete o amor e a entrega suficientes para se deixar “crucificar” pelo cônjuge? Conselho, pratique diariamente o amor em pequenos detalhes de carinho e de serviço a seu próximo, e Deus o abençoará com um amor mais autêntico e sólido por seu par.

   Portanto, os “Doze” ficaram com Jesus, pois estavam convictos de que só Ele tem “palavras que comunicam a vida definitiva”. Eles representam aqueles que não se conformam com a banalidade de uma vida construída sobre valores efémeros e que querem ir mais além; representam aqueles que não estão dispostos a gastar a sua vida em caminhos que só conduzem à insatisfação e à frustração; representam aqueles que não estão dispostos a conduzir  a sua vida ao sabor da preguiça, do comodismo, da instalação; representam aqueles que aderem sinceramente  a Jesus, se comprometem com o seu projeto, acolhem no coração a vida que Jesus lhes oferece e se esforçam por viver em coerência com a opção por Jesus que fizeram no dia do seu batismo. Como Bispo da Igreja Vetero Católica Fidelitas, chamo sua atenção mais uma vez para sua semana ser fortalecida: esta opção pelo seguimento de Jesus precisa ser constantemente renovada e constantemente vigiada, a fim de que o nível da coerência e da exigência se mantenha.

+Dom Junior de Jesus (Bispo Eleito)