HOMILIA DO XIX DOMINGO DO TEMPO COMUM

HOMILIA DO XIX DOMINGO DO TEMPO COMUM

 

A liturgia de hoje nos apresenta Jesus caminhando sobre o mar agitado pelos ventos fortes. O Senhor enfrenta a fúria dos ventos e acalma os discípulos, manifestando o poderoso amor com que sempre cuida de todos.

A primeira leitura é do Livro 1 Reis 19, 9.11-13, Elias sabia que o som de uma voz mansa e delicada era a voz de Deus. Ele percebeu que Deus não se revela apenas de maneiras poderosas e milagrosas. Procurar Deus apenas em algo grande (congregações, grandes igrejas, conferências, lideres altamente visíveis) pode ser equivalente a deixar de vê-lo, porque Ele é frequentemente encontrado, no silêncio de um coração humilde. A primeira pergunta da homilia de hoje. Você está ouvindo a Deus? Como Bispo Eleito, te aconselho, afaste-se um pouco do ruído da atividade de sua vida agitada, e ouça, humildemente, sua orientação. Ele poderá vir quando você menos esperar.

O Evangelho de Mateus 14, 22-23, apresenta-nos um Jesus que abria espaço em sua agitada programação, para estar sozinho com o Pai. Passar tempo com Deus, em oração, alimenta um relacionamento vital com Ele, e nos equipa para enfrentarmos os desafios, e as lutas da vida diária. Eu, dom Júnior, como seguidor de Jesus Cristo, deixo o segundo conselho dessa homilia para você: desenvolva a disciplina de passar tempo sozinho com Deus. Isso ajudará você a crescer espiritualmente e se tornar cada vez mais semelhante a Cristo.

Pedro não estava submetendo Jesus a um teste, algo que somos instruídos a não fazer (Mt4.7). Em vez disso, ele foi o único no barco a reagir com fé. Seu pedido impulsivo o levou a vivenciar uma demonstração incomum do poder de Deus. Pedro começou a afundar, porque desviou os olhos de Jesus e se concentrou nas altas ondas ao seu redor. Sua fé esmoreceu, quando percebeu o que estava fazendo. Mas uma vez chamo sua atenção nessa homília, provavelmente não andaremos sobre as águas, mas podemos andar em meio a situações difíceis. Se nos concentrarmos nas ondas das circunstâncias difíceis ao nosso redor, sem a fé de que Jesus nos ajudará, nós, também poderemos nos desesperar e afundar. Quero deixar o terceiro conselho dessa homilia para você: para conservar sua fé quando as situações forem difíceis, concentre-se no poder de Jesus, e não nas suas inadequações. Quando a fé de Pedro fraquejou, ele buscou a Cristo, o único que poderia ajudá-lo. Ele teve medo, mas ainda assim, buscou a Cristo. Lembre-se sempre, meu irmão e irmã, quando você estiver apreensivo a respeito das dificuldades a sua volta, e duvidar da presença de Cristo ou da sua capacidade de ajudar, não esqueça nunca, Ele está sempre com você, e é o único que realmente pode lhe ajudar.

A segunda Leitura tirada de Romanos 9, 1-5, mostra Paulo expressando preocupação por seus irmãos e irmãs judeus, dizendo que receberia, alegremente, a punição deles, se isso o salvasse. Embora o único que pode nos salvar seja Cristo, Paulo mostrou um raro amor. Preste atenção nesse momento da homilia: Como Jesus, Paulo estava disposto a sofrer para que outros fossem salvos. A pergunta que fica é, você que está lendo essa homília hoje, está preocupado com aqueles que não conhecem a Cristo? Você está disposto(a), como Paulo, a sacrificar seu tempo, energia, conforto e segurança, para vê-los chegar a Cristo?

Portanto, a Palavra de Deus hoje nos lembrou que Deus está sempre perto de nós. Ele se manifesta aos discípulos  de ontem e de hoje e também nos dar sabedoria para que,  no dia a dai, nós possamos perceber sua presença e anuncia-lo aos irmãos e irmãs do nosso tempo. Como sinal do amor de Deus, unimo-nos a todos  que agradecem a Deus o dom da paternidade. Que todos os pais sejam abençoados e fortalecidos em sua missão.

DOM JÚNIOR DE JESUS