12º DOMINGO DO TEMPO COMUM

   A liturgia de hoje nos recorda a grandeza do amor de Deus manifestado em Jesus Cristo. É um amor que não desiste nem mesmo diante dos grandes pecados e das rejeições. Por isso, tenhamos sempre nossos corações voltado para este amor, de modo a nunca dele nos afastarmos.

   A primeira leitura (Jó 38,1-8-11), fala-nos de um Deus majestoso e omnipotente, que domina a natureza e que tem um plano perfeito e estável para o mundo. O homem, na sua pequenez e finitude, nem sempre consegue entender a lógica dos planos de Deus; resta-lhe, no entanto, entregar-se nas mãos de Deus com humildade e total confiança.

   No Evangelho (Mc. 4,35-41), Marcos propõe-nos uma catequese sobre a caminhada dos discípulos em missão no mundo. Marcos garante-nos que os discípulos nunca estão sozinhos a enfrentar as tempestades que todos os dias se levantam no mar da vida. Os discípulos nada têm a temer, porque Cristo vai com eles, ajudando-os a vencer a oposição das forças que se opõe à vida e à salvação dos homens.

   A segunda leitura (2 Coríntios 5,14-17), garante-nos que o nosso Deus não é um Deus indiferente, que deixa os homens abandonados à sua sorte. A vinda de Jesus ao mundo para nos libertar do egoísmo que escraviza e para nos propor a liberdade do amor mostra que o nosso Deus é um Deus interveniente, que nos ama e que quer ensinar-nos o caminho da vida.

   Portanto, o caminho percorrido pela comunidade de Jesus em missão no mundo é, muitas vezes, um caminho marcado por duras tempestades. Quando a comunidade procura ser fiel à sua vocação e levar a libertação aos homens, confronta-se frequentemente com as forças da injustiça, da opressão e do pecado que não estão interessadas em que o anuncio libertador de Jesus ecoe no mundo. Por isso, a comunidade de Jesus conhece, ao longo da sua caminhada, a oposição, a incompreensão, a perseguição, as calúnias e até a morte. Os discípulos devem estar conscientes de que esse cenário é inevitável e resulta da sua fidelidade ao caminho de Jesus.

+Dom Junior de Jesus (Bispo Eleito)