VISITA AO SANTÍSSIMO

QUINTA-FEIRA

VISITA AO SANTÍSSIMO

V/Graças e louvores sejam dados a todo momento.

R/. Ao Santíssimo e diviníssimo Sacramento

Pai –Nosso, Ave-Maria e Glória .

Comunhão espiritual: Eu quisera, Senhor, receber-vos com aquela pureza, humildade e devoção com que recebeu a vossa Santíssima Mãe, com o espírito e o fervor dos Santos.

 

 

HOMILIA

  A liturgia dessa, Quinta-Feira de Adoração, nos apresenta o desejo de ver Jesus. As palavras e os milagres de Jesus atraíam em torno dele verdadeiras multidões. Lembrando que é o Senhor que nos alimenta diariamente para compreender as ilusões desse mundo.

A Primeira Leitura tirada do Livro do Eclesiastes 1, 2-11, apresenta-nos Salomão perto do fim de sua vida, olhando para tudo o que fizera, ele viu que a maior parte era sem sentido. Uma crença comum era a de que as pessoas de bem prosperavam e os ímpios sofriam, mas isso não fora comprovado na experiência de Salomão. Ele escreveu o livro do Eclesiastes depois de tentado tudo e realizado muita coisa, somente para descobrir que nada, longe de Deus, o fazia feliz. Ele queria que seus leitores evitassem essas mesmas buscas sem sentido. Como Bispo Eleito reafirmo, nessa Quinta-Feira de adoração, se tentarmos encontrar sentido em nossas realizações, e não em Deus, nunca ficaremos satisfeitos, e tudo o que buscamos se tornará sem sentido.

Israel, o reino de Salomão, estava em sua era de ouro, mas Salomão queria que o povo entendesse que o sucesso e a prosperidade não duram. Muitas pessoas se sentem inquietas e insatisfeitas, e se perguntam: se estou na vontade de Deus, por que me sinto tão cansado e insatisfeito? Qual é o sentido da vida? Por que me sinto esgotado, desiludido e seco? O que será de mim? Salomão testa nossa fé, desafiando-nos a encontrar o verdadeiro e duradouro sentido apenas em Deus. Como Bispo quero chamar sua atenção nessa Quinta Feira neste ponto: quando nós examinamos a sério nossa vida, como Salomão examinou a dele, veremos como é importante servir a Deus.  Veja bem você que está lendo essa meditação. Talvez Deus esteja pedindo que você reavalie seu propósito e sua direção na vida, da mesma maneira como Salomão fez, no livro de Eclesiastes.

O Evangelho tirado de Lucas 9, 7-9, mostra-nos como Jesus suscitava interrogações a sua volta. As pessoas achavam tão difícil aceitar que Jesus era o Filho de Deus, que tentaram inventar outras soluções, a maioria das quais parecem inacreditáveis para nós. Muitos pensavam que Jesus devia ser alguém que havia retornado a vida. Talvez João Batista, ou outro profeta. Alguns sugeriram Elias, o grande profeta, que não havia morrido, mas havia sido elevado ao céu em um carro de fogo. Muito poucos descobriram a resposta correta, como Pedro. Muitas pessoas, ainda hoje, têm dificuldade para aceitar Jesus como o Filho de Deus, plenamente humano, e também plenamente divino. As pessoas ainda tentam encontrar explicações alternativas, um grande profeta, um líder político radical. Nenhuma dessas explicações pode explicar os milagres realizados por Jesus, ou em especial, sua ressurreição.

Portanto, a palavra de hoje nos adverte que não basta a admiração pelo Senhor, por suas palavras ou por sua Igreja. É preciso conversão, mudança de vida, a partir do reconhecimento de uma vida errada, com o firme propósito de consertá-la. Não podemos deixar a graça passar. Jesus não é uma ameaça. Ele é a grande chance para nos libertamos de uma vida vazia, tocada a vaidade. O verdadeiro encontro com o Senhor pede conversão, acolhida da graça de Deus numa vida nova. Mateus é um bom exemplo. Abandonou a mesa dos impostos para seguir Jesus. Zaqueu é um bom exemplo. Na vida nova da graça dividiu seus bens com os pobres e reparou o prejuízo que causara as pessoas. Herodes não, Herodes é um mau exemplo.

+Dom Junior de Jesus (Bispo Eleito)