Homilia: Solenidade São Pedro e Paulo, Apóstolos.

ARQUIDIOSE DA BAHIA
IGREJA VETERO CATÓLICA FIDELITAS
+DOM JÚNIOR DE JESUS (BISPO ELEITO)
HOMILIA: SOLENIDADE SÃO PEDRO E SÃO PAULO, APÓSTOLOS
A liturgia de hoje nos convida a contemplar os exemplos dos Santos Pedro e Paulo, os quais, por caminhos diferentes, realizaram a missão evangelizadora. Celebramos também o dia do Papa, rezando pelo sucessor de Pedro.
Paulo, por sua pregação e suas cartas, instrui constantemente a Igreja nos caminhos de Jesus Cristo e na vivência da fé. Ele é, por excelência, o discípulo-missionário, anunciador do Evangelho a todos os povos e formador de comunidades.
Pedro, inteiramente devotado ao mestre, recebeu de Jesus a missão de “confirmar os irmãos na fé” e “apascentar as ovelhas do rebanho do Bom Pastor.
A palavra forte deste Domingo: Escolher. Não é uma reprimenda que Jesus dá aos seus Apóstolos. É antes um convite a amá-lo, mais que a todos os nossos querido. Escolher caminhar o mais perto possível de Cristo, é tomar com Ele o caminho da cruz, jogando a nossa vida sob o regime da fé e do amor. Uma decisão em contradição direta com o espírito mundano.
Que neste tempo de pandemia, o Senhor renove em cada um de nós, a vida que nos deste no nosso batismo. Convido a você que está lendo essa homilia: renove sua fé, a sua confiança e esperança no Senhor. Não deixe o medo, a insegurança, a insensibilidade, o desânimo e as preocupações com futuro roubar a vida nova gerada no dia do seu batismo.
Que São Pedro e São Paulo intercedam por nós para que, saibamos acolher e dar atenção aos outros, mesmo quando de uma igreja diferente. Mesmo quando de cultura diferente. Mesmo quando de cor diferente da nossa. Acolher e dar atenção aos que fraquejam ao longo do caminho, assim como fez Jesus ao acolher Pedro que o negou três vezes e a Paulo que era perseguidor dos cristãos e, ainda, testemunhou a morte de Estevão. O que não pode faltar em nós no tempo presente é a humildade Pedro e Paulo de reconhecer suas faltas e pedir perdão ao Senhor Jesus. Eu, Dom Júnior de Jesus, ao longo dos meus 40 anos de vida cristã já fraquejei muitas vezes, mas sempre clamei por Jesus, por sua misericórdia e não teve nenhuma vez que Ele não me acolheu e ergueu de novo. Certamente você que está lendo essa homilia, também, já caiu ou está caído ao longo do caminho. Não tenha medo de dizer “Jesus salva me, porque estou afogando”. Senhor tira essas escamas dos meus olhos para te ver melhor.

28/06/2020