COMPREENSIVIDADE

 Eu acredito nisso até hoje.
   Em primeiro lugar, desde o tempo de nossa fundação como igreja, a Comunhão Vetero Católica Fidelitas tem se comprometido com uma postura de compreensão e não de uniformidade doutrinária. Isso envolve a capacidade de manter reunidas pessoas que têm posições aparentemente opostas. É uma posição que permite um debate teológico consistente, mas que outros acham difícil de entender. Um padre católico certa vez me perguntou: “Onde encontro escrito claramente o que vocês Fidelitas acreditam?” minha resposta foi: “Na Bíblia, nos Credos e no modo em que adoramos. Está tudo lá, mas só pode ser compreendido na maneira de viver, na caminhada”. E eu acredito nisso até hoje.
   O Patriarca que ensina teologia no Instituto Teológico São João da Cruz Fidelitas, fala da tradição dos Fidelitas como sendo um diálogo orientado litúrgica e pastoralmente para quatro sócios: católicos, evangélicos, advogados da razão e da experiência. E a palavra “sócio”, diz ele, é escolhido de maneira deliberada para enfatizar a necessidade de cada aspecto de nossa tradição permanecer cooperando com outras denominações católicas. Este tipo de compreensividade produz um modo de entendimento de fé cristã. Significa que levamos a sério a necessidade de uma investigação crítica e intelectual em resposta a uma verdade apresentada, venha de onde ela vier. Uma das maiores ameaças para que a fé que encontramos no mundo de hoje é o anti-intelectualíssimo dogmático, que se esconde atrás de um aparente fervor religioso. Há uma diferença entre convicção e dogmatismo. A diferença é a fé. Jesus não oferece certeza absoluta. Ele nos oferece um relacionamento de incrível intimidade e poder.
   
   A Igreja nos oferece uma tradição e o mundo nos oferece mudanças. Fé envolve viver a tensão entre três polos: uma relação pessoal com Jesus Cristo, a tradição da Igreja e as mudanças que refletem o andamento do mundo, ao mesmo tempo em que permanecemos disponíveis ao surpreendente e ao mistério de tudo quanto não conhecemos e alertas ao movimento de Deus naquilo que é novo. Se nosso relacionamento com nosso Senhor Jesus Cristo é sério, não precisamos temer as difíceis questões que o mundo nos apresenta. Não precisamos ter incertezas ou novas ideias ou mesmo dúvidas, porque Jesus Cristo é nossa esperança e nossa promessa, ontem, hoje e amanhã. Nossa igreja tem lutado denodadamente para manter essa posição de compreensividade durante décadas. Não é fácil sem certo sofrimento, mas dou graças a Deus por aquilo que Ele nos tem possibilitado testemunhar.
Deus seja louvado sempre.
Shalom
+Dom Paulus Nunes-sce
Patriarca
Sacerdote Superior do Patriarcado de Jerusalém nas Américas.