TERCEIRO DOMINGO DE PÁSCOA

A presença do Ressuscitado fortalece nossa esperança!

   Em nossa caminhada pascal, encontramos Jesus Ressuscitado reunindo e fortalecendo os discípulos, que se tornam firmes anunciadores da Boa Nova, pela palavra e pelo testemunho. Ao celebrarmos a Eucaristia, ouvindo a Palavra do Senhor e partilhando Seu Corpo e Sangue, unimo-nos a Ele e Nele nos fortalecemos.

   A primeira Leitura (Atos 3,13-15.17-19) apresenta-nos, precisamente, o testemunho dos discípulos sobre Jesus. Depois de terem mostrado, em gestos concretos, que Jesus está vivo e continua a oferecer aos homens a salvação, Pedro e João convidam os seus interlocutores a acolherem a proposta de vida que Jesus lhes fez.

   O Evangelho (Lucas 24,35-48), assegura-nos que Jesus está vivo e continua a ser o centro à volta do qual se constrói a comunidade dos discípulos. É precisamente nesse contexto eclesial, no encontro comunitário, no diálogo com os irmãos que partilham a mesma fé, na escuta comunitária da Palavra de Deus, no amor partilhado em gesto de fraternidade e de serviço, que os discípulos podem fazer a experiência do encontro com Jesus Ressuscitado. Depois desse encontro, os discípulos, são convidados a dar testemunho de Jesus diante dos outros homens e mulheres.

   A segunda Leitura (1João 2,1-5), lembra que o cristão, depois de encontrar Jesus e de aceitar a vida que Ele oferece, tem de viver de forma coerente como o compromisso que assumiu. Essa coerência deve manifestar-se no reconhecimento da debilidade e da fragilidade que fazem parte da realidade humana e num esforço de fidelidade aos mandamentos de Deus.

   Portanto, Jesus lembra aos discípulos: “vós sois as testemunhas de todas coisas”. Isto significa, apenas, que os cristãos devem ir contar a todos os homens, com lindas palavras, com raciocínios lógicos que Jesus ressuscitou e está vivo? O testemunho que Cristo nos pede passa, mais do que pelas palavras, pelos nossos gestos. Jesus vem, hoje, ao encontro dos homens e oferece-lhes a salvação através dos nossos gestos de acolhimento, de partilha, de serviço, de amor sem limites. São esses gestos que testemunham, diante dos nossos irmãos, que Cristo está vivo e que Ele continua a sua obra de libertação dos homens e do mundo.

+Dom Júnior de Jesus