QUINTO DOMINGO DA QUARESMA

   Já tão próximo da Páscoa do Senhor, somo convidados a acolher a Lei do Amor, que, em Jesus, é entrega, é doação. Aproveitemos, portanto, as celebrações quaresmais para fortalecer em nós e nas nossas comunidades o sonho e o compromisso de construir um mundo onde não impere a força dos bens materiais, mas sim o acolhimento, a gratuidade, a partilha, a esperança, a reconciliação e a fé.

   Na primeira Leitura (Jeremias 31, 31-34), Deus apresenta a Israel a proposta de uma nova Aliança. Essa Aliança implica que Deus mude o coração do Povo, pois só com um coração transformado o homem será capaz de pensar, de decidir e de agir de acordo com as propostas de Deus.

   O Evangelho (João 12, 20-33), mostra que a fé nasce do encontro pessoal com Cristo. É a experiência do encontro com Cristo que muda a vida do ser humano. O Evangelho enfatiza essa realidade dos encontros pessoais com Cristo, encontros que mudam a vida das pessoas. A fé não é uma filosofia, uma ideia: é encontrar-se com uma pessoa viva, Jesus Cristo. Jesus Cristo que nos coloca em comunhão com o Pai e nos dá o dom do Espírito Santo. O encontro com Jesus Cristo coloco o discípulo num processo de seguimento. “Se alguém quer me seguir, siga-me, e onde eu estou estará também o meu servo” (Jo 12,26). Seguir Jesus implica um caminho de configuração a Ele, onde o discípulo vai buscando tomar a fisionomia de Jesus e vai fazendo da vida um dom de amor e de serviço, como Jesus.

   A segunda Leitura (Hebreus 5,7-9), apresenta-nos Jesus Cristo, o sumo-sacerdote da nova, que se solidariza com os homens e lhes aponta o caminho da salvação. Esse caminho passa por viver no diálogo com Deus, na descoberta dos seus desafios e propostas, na obediência radical aos seus projetos.

   Portanto, Deus, por sua vez, como Pai que já mais desiste dos seus, insiste na força da Aliança, não se cansa de perdoar a maldade e sempre aposta na possibilidade do recomeço. Acredita nesta Força maior nos ajuda a recuperar nossa vontade de seguir adiante, fazendo a nossa parte, seguros por um ínfimo fio de esperança que não parece porque sustentado por um Amor infinito da parte de Deus.

+Dom Júnior de Jesus (Bispo Eleito)