Batismo do Senhor

Redimidos e enviados pela Misericórdia Divina!

   Ao celebrarmos o batismo de Jesus nas águas do Rio Jordão, celebramos também o nosso batismo e renovamos o compromisso de seguir Jesus Cristo em todos os momentos da vida, seja na alegria, seja na dor. Neste Ano Santo, somos convidados a reafirmar nosso compromisso por uma vida capaz de acolher e transmitir a Misericórdia, dom de Deus para toda a humanidade.

Por que Jesus foi batizado? | Ide e Anunciai

    A primeira leitura (Is 42,1-4.6-7), conta-nos a história do “Servo” e mostra-nos, desde já, que Deus atua através de instrumentos a quem Ele confia a transformação do mundo e a libertação dos homens. Tenho consciência de que cada batizado é um instrumento de Deus na renovação e transformação do mundo? Estou disposto a corresponder ao chamamento de Deus e a assumir os meus compromissos quanto a esta questão, ou prefiro fechar-me no meu canto e demitir-me da minha responsabilidade profética? Os pobres, os oprimidos, todos os que “jazem nas trevas e nas sobras da morte” podem contar com o meu apoio e empenho?
    Convém não esquecer que a missão profética só faz sentido à luz de Deus e que tudo parte da iniciativa de Deus: é Ele que escolhe, que chama, que envia e que capacita para a missão… Aquilo que eu faço, por mais válido que seja, não é obra minha, mas sim de Deus; o meu êxito na missão não resulta das minhas qualidades, mas da iniciativa de Deus que age em mim e através de mim.

   O Evangelho ( Lc 3,15-16.21-22),  Jesus aparece como o Filho amado, que o Pai enviou ao encontro dos homens para os libertar e para os inserir numa dinâmica de comunhão e de vida nova. Nessa cena revela-se, portanto, a preocupação de Deus e o imenso amor que Ele nos dedica.

   No Baptismo, Jesus tomou consciência da sua missão, essa missão que o Pai Lhe confiou, recebeu o Espírito e partiu em viagem pelos caminhos poeirentos da Palestina, a testemunhar o projeto libertador do Pai.

   A segunda leitura (Atos 10, 34-38) mostra-nos que Jesus de Nazaré “passou pelo mundo fazendo o bem e curando todos os que eram oprimidos pelo demónio”. Nos seus gestos de bondade, de misericórdia, de perdão, de solidariedade, de amor, os homens encontraram o projeto libertador de Deus em ação. Esse projeto continua, hoje, em ação no mundo? Nós, cristãos, comprometidos com Cristo e com a sua missão desde o nosso Baptismo, testemunhamos, em gestos concretos, a bondade, a misericórdia, o perdão e o amor de Deus pelos homens? Empenhamo-nos em libertar todos os que são oprimidos pelo demónio do egoísmo, da injustiça, da exploração, da solidão, da doença, do analfabetismo, do sofrimento?

   Portanto, ao recordarmos e celebrarmos o Batismo do Senhor, recordamos e celebramos também o nosso próprio Batismo, louvando e bendizendo pela graça de sermos batizados. O Batismo não é apenas uma cerimônia que aconteceu um dia em nossas vidas. O Batismo é uma realidade que devemos viver e testemunhar todos os dias. No Batismo de Jesus, encontramos, pois, o sentido para o nosso Batismo. Rezamos hoje, de modo especial, pelas equipes da Iniciação Cristã e as que acolhem pais e padrinhos para o batismo das crianças e adultos. Que o Senhor os fortaleça sempre mais neste importante serviço evangelizador.

+Dom Júnior de Jesus(Bispo Eleito)